A importância da prevenção de quedas

por | 4 de julho de 2021 | Bem-estar, Prevenção de quedas

Uma série de atividades devem ser combinadas para evitar que a pessoa idosa não se machuque gravemente.

Uma grande preocupação da população sênior são as quedas, que podem acontecer tanto em casa como nas ruas, e trazem grandes problemas físicos como fraturas e, em casos de maior gravidade, causam a morte acidental.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, uma em cada três pessoas com 65 anos ou mais tem uma situação de queda uma vez por ano – desses, 5% sofrem uma fratura ou necessitam de internação. Já para os mais velhos, com idade de 80 anos ou mais, o índice dos que sofrem ao menos uma queda ao ano sobe para 40%. Para os que moram em casas de repouso ou asilos, o índice de quedas aumenta para 50%.

Os fatores que contribuem para as quedas são diversos e vão desde problemas causados pelo envelhecimento natural do corpo humano até obstáculos e situações encontradas no dia a dia, muitos dos quais podem ser evitados.

Necessitam de maior atenção pessoas que têm problemas como osteoporose, artrose, alterações da pressão arterial, doenças que afetam o sistema neurológico (doença de Parkinson, mal de Alzheimer, esclerose múltipla), senilidade, tipos de câncer que afetam os ossos, disfunções no aparelho urinário, depressão e com menor capacidade de visão e audição. Aqueles que usam medicamentos mais fortes (ansiolíticos, sedativos, hipnóticos) ou que consomem regularmente bebidas alcoólicas também são mais vulneráveis a quedas.

Em relação a fatores ambientais, em casa, é preciso atentar para a iluminação dos espaços, pisos escorregadios, objetos mal posicionados (mesas, armários, tapetes, passagens), escadas com falta de apoios. Nas ruas, os principais problemas são causados por calçadas mal projetadas ou danificadas, e obras de manutenção urbana.

A prevenção das quedas destaca uma série de atividades que devem ser combinadas para se evitar que a pessoa idosa se machuque gravemente. Na questão da saúde, é importante realizar consultas com um médico para avaliações clínicas, que podem resultar em ajustes de medicações já utilizadas, além da receita de suplementos como vitamina D e cálcio, ou indicação do consumo de alimentos com mais lactose, que contribuem para prevenir a osteoporose – tomar sol diariamente é essencial para aumentar a vitamina D no corpo. Testes periódicos de visão e audição também são importantes para a manutenção da boa saúde da pessoa idosa.

O especialista também poderá indicar a prática de atividades físicas para o fortalecimento dos músculos e para melhorar a agilidade e a coordenação motora – caminhada, natação, hidroginástica, alongamentos e exercícios como o Tai Chi Chuan, que ajudam a melhorar o equilíbrio.

Em casa, são necessários ajustes em várias áreas para evitar quedas. As escadas, corredores, banheiros e cômodos devem ter suportes (barras de apoio e corrimãos) para ajudar o idoso a se segurar e não escorregar – as bordas de degraus podem ter tiras antiderrapantes. A iluminação deve ser melhorada, assim como deve-se melhorar e facilitar o acesso à interruptores.